domingo, 14 de outubro de 2007

Introdução

"-Maurette, porque não escrevemos sobre um mesmo tema?"
Eu, com a minha visão de portuguesa..E vc, de brasileira.
-Beleza! Então porque não escreves uma crónica sobre o isopor, já que eu escrevi do esferovite.."
Hummm, eu não sou cronista pelo menos não de crónicas, serei talvez de crónicos. Pensamentos crónicos que me assaltam e sobre os quais gosto de escrever.. Mas 'topei na hora', não sou de desperdiçar estes desafios. Pelo menos de não tentar! Daí que..
"Pode ser!"

Mas.. o que têm em comum, uma miúda portuguesa de 26 anos, que vive na pacata Barcelos-Portugal, com uma mulher um pouquinho mais 'experiente', jornalista, que vive simplesmente numa das cidades mais fantásticas do mundo (ou não fosse 'a maravilhosa'!) - para os mais desatentos, Rio de Janeiro-Brasil.
Aparentemente nada. Se olharmos mais de perto, talvez um pouquinho. Eu vivi um ano e meio no Brasil. Poderia ter sido só uma experiência. Mas foi bem mais que isso. Daquelas experiências-marcas de sangue, que ficam. E que transformam. Sinto-me uma pessoa diferente depois de estar lá este tempo. Não digo nunca e quem sabe um dia volto.
Ela esteve já em Portugal e é uma apaixonada por este rectângulo à beira mar plantado.

Depois, o Jorge Palma que ambas gostamos muito. Ambas tivemos já oportunidade de conhecê-lo pessoalmente (embora ele de mim não se lembre de certeza!!)
Achei curioso alguém brasileiro gostar assim das músicas do Jorge Palma. Isto porque, na minha 'missão' de difusão da cultura portuguesa no Brasil, o JP foi dos 'incompreendidos', ninguém gostou lá muito..e eu dizia..mas presta atenção nessa letra...não adiantou. Culturas diferentes. E uma produção musical como mais nenhum país tem (o Brasil) podem justificar a 'esquisitisse' quanto à música do JP. Afinal, ele é um bocadinho alternativo.. Foram mais nos nossos 'comerciais': Madredeus, Clã, Mafalda Veiga, João Pedro Pais, vinho do Porto...=)
Mas isso vai mudar de certeza com uma iminente (e eminente!) digressão do JP pelo Brasil!

Sobre o blog, não terei muito tempo para escrever aqui (a velha desculpa ocidental!) mas mais ou menos, melhor ou pior, tentarei dar um contributo luso e ainda nordestino (para manter o ritmo... =))


Assim começa esta ponte literária luso-brasileira.

E são 7h de viagem transformadas num click!

3 comentários:

Maurette disse...

Silvia, meus parabéns pelo lindo texto! E vamos em frente!

isabel c. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Orlando Gonçalves disse...

Assim é que se fala. Vamos lá ver as duas prestectivas a de uma portuguesa, que pelos vistos ama o brasil e de uma brasileira que pelos vistos ama Portugal, sobre o mesmos temas, não vale copiar, não vale concordar sempre, lol lol lol lol, vamos ao contraditório.